Mulheres farão greve de sexo para exigir renúncia do presidente de Togo, na África

 Mulheres farão greve de sexo para exigir renúncia do presidente de Togo, na África
As mulheres de Togo, na África, começarão uma greve de sexo nesta segunda-feira (27) com duração de uma semana, para exigir a renúncia do presidente do país, Faure Gnassingbé. "As mulheres togolesas vão declarar-se em greve de sexo a partir de amanhã para tentar mobilizar seus parceiros a realizarem mais ações para provocar a saída de Gnassingbé do poder", disse a responsável pelo "Coletivo Salvemos Togo", Isabelle Ameganvi, neste domingo (26). "O homem que nos dirige [Gnassingbé] gosta das relações sexuais, por isso convido as togolesas a abster-se durante esta semana", disse Isabelle. Os protestos foram convocados após os violentos enfrentamentos entre as forças de segurança e manifestantes partidários da oposição nos dias 21, 22 e 23 de agosto. A manifestação segue o exemplo das liberianas, que tomaram medidas similares para acelerar a chegada da paz durante a guerra civil vivida no país até 2003. Informações da EFE.

Fonte: Bahia Notícias 
Reações:

0 comentários: