EX-SOLDADO DA AERONÁUTICA MATA MULHER E ENTERRA O CORPO EM SÃO DESIDÉRIO (VÍDEO)


Está preso em São Desidério (BA), Quelyson Gonçalves de Abreu Souza, 21 anos, acusado de ter matado e enterrado uma mulher para roubar uma moto. Ele é natural de Brasilia (DF), onde serviu a Aeronáutica brasileira.

Nesta terça-feira (20) pela manhã, logo após ser comunicada sobre o desaparecimento de Edileuza Azevedo de Souza, imediatamente a polícia civil local deu início às investigações culminando na prisão do ex-militar.

A vítima, que era servidora de uma escola da rede pública de São Desidério, foi cruelmente assassinada por Quelyson.

Segundo Carlos Ferro, delegado titular de São Desidério, friamente o criminoso confessou o crime, alegando ter agido por ”impulsão”, e ainda levou a polícia até o local onde havia enterrado o corpo da desaparecida.

Edileusa foi enterrada em uma cova clandestina às margens do Rio das Fêmeas, na zona rural do município situado no Oeste da Bahia.


A mulher, que era evangélica, desapareceu na tarde desta segunda-feira, quando de moto (Honda Biz), saiu de casa rumo a Escola Municipal do Povoado de Perdizes, onde trabalhava como merendeira escolar.

Suspeitando do ex-soldado da Aeronáutica, recém chegado a localidade, populares do Povoado de Perdizes cercaram a casa onde o mesmo estava, e só não o lincharam porque ainda não tinham a certeza de que ele era o responsável pelo sumiço da mulher.

Com a chegada da polícia, o latrocínio começou a ser desvendado profundamente por policiais civis de São Desidério e Barreiras, sob a coordenação de Carlos Ferro.

Os investigadores encontraram riqueza de detalhes sobre o crime, deixando Quelyson sem saída, diante de toda materialidade. Tanto que, voluntariamente, ele indicou aonde havia escondido os pertences roubados da vítima.

O brasiliense havia chegado recentemente ao povoado de Perdizes, zona rural do município baiano, onde estava vivendo com sua mulher, gestante de sete meses. A família de sua companheira é da localidade rural. Quelyson chamava Edileuza de tia, pelo fato dela ser tia de sua mulher.

Na corporação militar aérea, Quelyson respondeu a inquéritos disciplinares e processos na justiça sendo preso por pouco mais de um ano, respondendo por furto e roubo. A demissão dele da Aeronáutica aconteceu como desertor, que é quando o militar deixa de comparecer ao serviço.

O delegado Carlos Ferro solicitou e contou com as presenças da polícia técnica e corpo de bombeiros, para desenterrar, periciar e remover do local, para o Complexo Policial de Barreiras, o corpo da mulher, para a realização de exames de necropsia. A suspeita da polícia é que Quelyson tenha enterrado Edileuza ainda viva. Carlos Ferro aguarda a conclusão da polícia técnica sobre isso.

Pela revolta da população, o delegado Carlos Ferro, visando a segurança, solicitou a custódia de Quelyson no complexo policial de Barreiras, onde o mesmo está preso à disposição da justiça de São Desidério.

O ex-soldado foi autuado em flagrante e responderá na justiça pelos crimes de latrocínio e ocultação de cadáver.


www.fernandopop.com - Fonte - Rb.am
Reações:

0 comentários: