DELEGADO PEDE PRISÃO PREVENTIVA DE MARIDO DE AGENTE DE SAÚDE ASSASSINADA EM CRISTÓPOLIS


O assassinato da agente de saúde Maria Helena dos Santos Sateles, 38 anos, no povoado de Riacho, ainda gera comoção no município de Cristópolis. O crime ocorreu na noite de 11 de outubro de 2015, quando a vítima encontrava-se na própria residência, cuidando do filho de três anos e oito meses, que estava dormindo. Ela foi atingida por dois tiros: um nas costas e outro em um dos ouvidos.

Na ocasião, o fato foi divulgado como “assalto”, porém, o delegado de Cristópolis, Dr. Leonardo Almeida, informou na manhã deste sábado (28/nov), que enviou o inquérito para o Ministério Público e pediu a prisão preventiva do marido da vítima, o agricultor Gileno Souza Sateles, de 45 anos. Segundo informações policiais, não há até o momento outros suspeitos envolvidos nesse crime.


Após o assassinato, a polícia encontrou celulares em cima da mesa da residência. No quarto, Tablet, notebook e câmera fotográfica digital estavam no guarda-roupas.
 

A VERSÃO DO MARIDO
No dia 12 de outubro, o marido da vítima esteve em Barreiras, no Departamento de Polícia Técnica (DPT). Lá, ele concedeu uma entrevista ao jornalista Salomão Correia. Durante a gravação, Gileno contou sua versão: “Tava na casa de minha mãe. Quando cheguei em casa, parei a moto, fui do lado da casa e ouvi a voz de um homem dentro da casa. Quando eu fui pelo fundo da casa, o cara atirou em mim e atirou nela. Eu corri e ele deu mais outro tiro”, disse.


A família da vítima contrapõe
Um familiar de Maria Helena disse que as circunstâncias são estranhas. “Para ele ouvir vozes de pessoas, tem que passar por uma cancela que tem lá. Com o barulho da moto era para os possíveis assaltantes, que ele fala, terem fugido, tendo em vista que ele [o marido] disse que os assaltantes estavam de cabeças cobertas e já tinham roubado R$ 6 mil”, afirmou.
 





www.fernandopop.com - Fonte - Do Oeste 10
Reações:

0 comentários: