MUQUÉM DO SÃO FRANCISCO : OPOSIÇÃO DEIXA ROMBO MILIONÁRIO NO MUNICÍPIO

                                                                O município de Muquém do São Francisco, no Oeste do estado, ainda sofre as consequências da ingerência política durante a gestão interina comandada pelo grupo da Oposição.

Em 2013, o vereador Osmar Gaspar de Sena assumiu interinamente o comando do Município, em virtude da realização de novas eleições, por determinação da justiça. Neste período, foram constatados e comprovados pelo TCM – Tribunal de Contas dos Municípios, o desvio de verbas e irregularidades na aplicação dos recursos públicos, o que levou o Tribunal a apresentar denúncia junto ao Ministério Público Estadual. A prefeitura também ingressou com diversas denúncias junto aos Ministérios Públicos Estadual e Federal que devem apurar os crimes cometidos contra a ordem financeira do Município.
As contas de Gaspar, referentes à gestão interina de 2013 (quando esteve à frente da prefeitura), foram rejeitadas pelo TCM obrigando a devolução de R$ 973.797,91, sendo ainda aplicada multa de R$ 40 mil (Processo nº 09139-14).
Em 2014, já presidente da Câmara Municipal, Gaspar teve suas contas também rejeitadas pelo TCM (Processo nº 08899-15), obrigando um ressarcimento de mais de R$ 79 mil que foram gastos sem a comprovação das despesas, sendo aplicada multa de R$ 5.000,00.
Estes valores são referentes às denúncias já comprovadas, mas o rombo deixado pelo grupo da Oposição chega a quase R$ 6 milhões desviados entre convênios e recursos, em apenas oito meses.
Não bastasse as fraudes nas contas da prefeitura e da Câmara, o grupo da Oposição, em uma manobra política, reprovou a dotação orçamentária proposta pelo Município, o que tem comprometido serviços essenciais à população. Com o Orçamento rejeitado pelos vereadores da Oposição, a prefeitura, que foi deixada à beira da falência, trabalha no limite.
Não perca a próxima reportagem que mostra, com detalhes, a atual realidade do município.

Reações:

0 comentários: