MAIS DUAS PESSOAS SÃO PRESAS EM OPERAÇÃO "ADSUMUS" EM 3 CIDADES. LUIS EDUARDO MAGALHÃES PODERÁ SER A PRÓXIMA NA LINHA DE INVESTIGAÇÃO


Duas pessoas foram presas durante a "Operação Adsumus" deflagrada pelo Ministério Público Estadual (MP-BA) nesta terça-feira, 11. Também foram cumpridos oitos mandados de busca e apreensão. A ação acontece em Salvador, Feira de Santana, Camaçari, Ipirá,

Muritiba, Lauro de Freitas e Santo Amaro com apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Polícia Civil.

Duas pessoas também foram conduzidas coercitivamente para depor. Outras duas que seriam presas são consideradas foragidas, de acordo com o MP-BA. Além disso, mais duas pessoas que são alvos de mandados de condução coercitiva ainda não foram encontradas.

Segundo o MP-BA, as conduções coercitivas têm o objetivo de coletar provas sobre a atuação dos alvos destes mandados nas empresas envolvidas em um esquema de contratação irregular de obras, locação de maquinário e realização de serviços públicos em Santo Amaro.

A estimativa é de um prejuízo de mais de R$ 24 milhões nos cofres do município.

Essa é a terceira etapa da "Operação Adsumus". A ação começou em julho, quando o MP-BA iniciou a investigação e prendeu oito pessoas, além de cumprir 24 mandados de busca e apreensão. Em setembro, a força-tarefa voltou a deflagrar mais uma fase da operação.

Luis Eduardo Magalhães poderá ser o próximo município investigado na operação, uma vez que despertou a atenção das autoridades com a ação que envolve o DESENBAHIA no caso dos R$15.000.000,00 - QUINZE MILHÕES DE REAIS. 

Em Julho deste ano, Roberto Santos, mais conhecido como Galego, um dos sócios da Construtora Oliveira & Santana, foi preso sob a investigação de fraudes em licitações em vários municípios na Bahia. Esta mesma empresa foi contratada por Humberto Santa Cruz para pavimentar algumas ruas de Luis Eduardo Magalhães em setembro de 2012 e que ficou constatado que o serviço não fora efetuado. Este ano, antes das eleições, Humberto Santa Cruz requisitou outro empréstimo junto ao DESENBAHIA novamente, todavia, desta vez poderia chegar a R$30.000.000,00 - TRINTA MILHÕES DE REAIS - sob a justificativa que deveria "terminar" o que havia feito em 2012, também ano eleitoral.

www.fernandopop.com - Com informações - BAHIA NOTÍCIAS



Reações:

0 comentários: