PREFEITO DE MUQUÉM DO SÃO FRANCISCO É ACUSADO DE SUPERFATURAR RECURSOS PÚBLICOS FEDERAIS NO TRANSPORTE ESCOLAR

Prefeito de Muquém do São Francisco Marcio Mariano


O Prefeito de Muquém do São Francisco é réu em mais uma ação popular ajuizada na Justiça Federal sob o número 2803-14.2016.4.01.3303. Desta vez, trata-se de indícios fortíssimos de que o prefeito estaria superfaturando os pagamentos de transporte público escolar em Muquém do São Francisco. 

O denunciante é  mais uma vez o vereador de Muquém do São Francisco, Mylton Pereira de Carvalho, popularmente conhecido como "Nitim do Javí".

Entenda o caso:

De acordo com a ação popular, em 2014, Marcio Mariano gastou mais de R$1.500.000,00 (UM MILHÃO E QUINHENTOS MIL REAIS), em 2015, chegou à bagatela de mais de R$1.200.000,00 (UM MILHÃO E DUZENTOS MIL REAIS) e já neste ano, até outubro, já foram gastos mais de R$800.000,00 (OITOCENTOS MIL REAIS) com transporte público escolar. Pagamentos destinados à Status Consultoria e Assessoria Administrativa e Contábil EIRELI - EPP.

É estarrecedor quando comparado a outros municípios que são até maiores que Muquém do São Francisco e tem mais alunos matriculados na rede que se utilizam do transporte público escolar.

Cotegipe em 2015, com 14.409 habitantes, gastou o total com transporte público escolar R$840.693,80. Enquanto que Tabocas do Brejo Velho, com 13.043 habitantes, gastou o total de R$517.000,01. Já Muquém do São Francisco teve o disparate de gastar R$1.229,439,00 com uma população estimada em 11.571 habitantes.

Este ano, até o momento, Cotegipe já gastou R$422.863,50 enquanto que Muquém do São Francisco já praticamente dobrou o valor e passa dos R$800.000,00.

Além da baderna promovida com os valores acima citados, Marcio Mariano foi denunciado por violar algumas cláusulas do contrato. 

De acordo com o contrato, o pagamento do transporte público escolar deveria ser proveniente da Secretaria de Educação e do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica - FUNDEB. No entanto, o prefeito permite que as despesas sejam pagas através de outras fontes, como do PNATE, salário Educação, Brasil Alfabetizado e PETE.

É importante ressaltar que as reclamações no município e o descontentamento dos moradores é perceptível, visto que sua reeleição foi apertadíssima. Mais relevante ainda, é entender esta rejeição quando nos deparamos ao quadro de funcionários e suas remunerações, em que tem servidor ganhando somente R$300,00, R$400,00, as vezes chegam até receber R$200,00, mas, em contrapartida, gasta-se mais de R$1.500.000,00 com a empresa Status Consultoria e Assessoria Administrativa e Contábil EIRELI - EPP, que tem sua sede em Barreiras. 

Não poderíamos ser injustos e dizer que esses salários são para todos os servidores em geral. Alguns "coligados" tem alguns privilégios e recebem mais, o que estaremos divulgando nas próximas matérias para que o cidadão fique atento à gestão e de que forma ela está se dando em Muquém do São Francisco.

www.fernandopop.com - Por: Amanda Garcia




Reações:

0 comentários: