HUMBERTO SANTA CRUZ PERMITIU QUE LIXÃO VIRASSE CARTÃO POSTAL DE LUIS EDUARDO MAGALHÃES

 

Depois de oito anos à mercê de um gestor que promove manobras de valores deturpados e condutas questionáveis, a cidade que já foi o ponto de esperança de milhares de pessoas, está em uma situação extremamente complicada. Luís Eduardo Magalhães encontra agora a saída em um recomeço, mas com a certeza que reestruturar essa cidade não será uma tarefa fácil.


Não se sabe se foi por incompetência, descaso ou apenas irresponsabilidade de Humberto Santa Cruz que o município encontra-se em situação calamitosa, o que se sabe é que este deixou problemas espalhados por todos os setores, sendo um dos mais graves, o meio ambiente. A situação do atual lixão do município é a prova da falta de respeito, cuidado e compromisso do atual gestor perante a população, o meio ambiente e a própria legislação federal.


Em 2010 foi aprovada a Política Nacional dos Resíduos Sólidos (PNRS) através do advento da lei nº 12.305/2010, na qual previa o prazo de quatro anos para que os municípios regularizassem a situação do descarte dos resíduos sólidos através da construção de um aterro sanitário adequado, medida esta que nem começou a ser cumprida em nenhum dos dois mandatos de Humberto Santa Cruz.



O prazo inicial que venceu em agosto de 2014 foi prorrogado 14 de novembro de 2016, não sendo cumprido. Tamanho descaso ao meio ambiente gerou ao município implicações perante o Ministério Público das quais resultaram em TAC - Termo de Ajustamento de Conduta por irregularidades ambientais, um que venceu junto com o prazo de eliminação do lixão, gerando uma multa de R$ 5.000,00 por dia aos cofres públicos, além de mais dois termos referentes às irregularidades da Gestão da Secretária de Meio Ambiente e a falta da adequada implementação de educação ambiental, com multa de R$ 2.000,00 por dia cada um, todos já vencidos.


Enquanto o excelentíssimo prefeito permanecia em seu gabinete gravando vídeos para suas redes sociais (brincadeira que custou mais de 25 milhões só com publicidade), a liberação de loteamentos irregulares corria solta. A exemplo da área ao redor do lixão, as beiras de um local insalubre com mais de 10 hectares de lixo a céu aberto, atendendo a interesses que com certeza não permeiam as necessidades da população.
O lixo acumulado produz um líquido denominado de chorume. A substância gerada atinge as águas subterrâneas, contamina os solos e as pessoas que mantêm contato com os detritos podem sofrer inúmeras doenças. Basta ir em alguns dos muitos lotes próximos ao lixão e constatar a gravidade da situação e a impossibilidade de viver com tal situação que já perdura a oito anos.


A situação se tornou ainda mais grave perante o Ministério Público, quando o Secretário interino, Jimmy Rafael assinou um ofício respondendo as indagações da justiça dizendo que todos os itens listados haviam sido corrigidos. Ora, mas até quem não mora na cidade sabe que o lixão sequer cercado é. Mas a irresponsabilidade foi tamanha que Jimmy respondeu que havia cerca em torno das montanhas de lixo.




Não cumprindo nem medidas de emergência exigidas pelo MP, tais como colocação de placas e cercas, autorização apenas de pessoas cadastradas para depósito entre outras, encerrando sua infrutífera passagem pelo poder, Humberto Santa Cruz deixa um legado de total desprezo à cidade e a toda população luiseduardense.

www.fernandopop.com - Por: Amanda Garcia/Fotos: Effect Produtora
Reações:

0 comentários: