LEM: CATÁSTROFE ESTRUTURAL, PSICOLÓGICA E FINANCEIRA, LEGADO EDUCACIONAL DEIXADO POR HUMBERTO SANTA CRUZ

BANHEIRO MASCULINO DA ESCOLA MUNICIPAL ÂNGELO BOSA

Na tarde da última segunda-feira, 19, foi postada uma matéria que tratava sobre a Escola Municipal Dom Ricardo Weberberger em que vários questionamentos foram levantados, dentre eles, o que foi feito nos 8 anos de gestão de Humberto Santa Cruz em relação à Educação em Luis Eduardo Magalhães.

Fazendo uma análise aprofundada dos número apresentados em contratos de aluguel, chegamos num valor que ultrapassa os R$15 MILHÕES DE REAIS. Tendo construído nesses últimos 8 anos, apenas 2 escolas - Escola Modelo e Marlei Terezinha Pretto. O disparate se torna maior e os números se elevam ainda mais, quando se trata dos "investimentos" com mais de R$2 MILHÕES DE REAIS destinados para adaptação de prédios, galpões e mercados alugados em escolas, não resultando nem de longe em uma estrutura pelo menos favorável aos alunos. 

E pra finalizar os três aspectos básicos necessários para um funcionamento satisfatório de uma escola, que fazem parte de qualquer ESTRUTURA básica em que o aluno consiga se sentir bem no ambiente escolar, incluímos em nossa análise como funcionam as cantinas. Todas as escolas do município tem sua cantina terceirizada, em que a empresa MARMITEX VITÓRIA presta o serviço. Esta, recebeu entre 2010 e 2016 a "mixaria" de R$33.940.725,64, TRINTA E TRÊS MILHÕES, NOVECENTOS E QUARENTA MIL, SETECENTOS E VINTE E CINCO REAIS E SESSENTA E QUATRO CENTAVOS. 

É salutar a reflexão dos munícipes quanto às reclamações de pais e alunos sobre o que era servido a eles. Várias foram as vezes que chegaram denúncias dizendo que haviam servido apenas biscoito de água e sal e meio copo de suco. Maçãs pequenas e por muitas vezes estragadas. Até chegar ao absurdo de dois biscoitos de maisena com um copo de água.

Para melhor entender, fazendo um balanço geral e somando o que foi investido em aluguéis, merenda e reformas nos últimos 8 anos, chegamos à quantia de mais de R$51 MILHÕES DE REAIS. Entretanto, apenas duas escolas construídas, Escola Modelo e Marley Terezinha, sendo esta última alvo de questionamentos pois a escola que entregaram não corresponde ao projeto apresentado anteriormente. Afora esse aspecto, ainda temos os equipamentos sucateados, alugados e estrutura que pode ser considerada nova, se encontram em ruínas.

Numa breve pincelada na tabela de aluguéis, prédios e respectivos proprietários, é inacreditável que o prefeito tenha permitido que Luis Eduardo Magalhães, um dos municípios que mais cresce no país acumule compromisso mensal de R$161.879,98 só com aluguéis de escolas. Façamos uma análise acerca desse valor divulgado. A empresa responsável pela construção da Escola Municipal Irani Leite, com 12 salas e quadra coberta, venceu a licitação com o valor global de R$3.172.092,84 (Que já é um absurdo). A estrutura apresentada no projeto, em espaço físico, ficará atrás somente da Escola Modelo. Logo, se imaginarmos esse valor e compararmos o valor total gasto com aluguéis, a bagatela de mais de R$15 Milhões de Reais, quantas escolas Humberto Santa Cruz não teria construído em suas duas gestões? 

ESCOLA MUNICIPAL MARLEI TEREZINHA PRETTO
















Os banheiros estão em estado crítico, algumas salas com as portas acabadas e as paredes em estado deplorável. Na época em que entregaram a obra, foi muito questionado o fato do resultado final não ser compatível ao projeto que foi aprovado mediante licitação.

ESCOLA MUNICIPAL CECÍLIA MEIRELES


De acordo com alguns funcionários, a coordenação alaga quando chove, as rachaduras estão cada vez piores e não tem um ano que o galpão foi adaptado. 

Quando são usados os banheiros, a água volta pelos ralos de toda escola com fezes. Sempre chamam o limpa fossa, mas, dois dias após, a mesma situação é vivenciada.

O forro do corredor que dá acesso ao pátio caiu em Março passado. 

O pátio onde as crianças deveriam passar o recreio e fazer suas atividades físicas, se encontra forrada de pneus alagados, sendo foco para o mosquito da dengue. 


Na Escola Municipal Cecília Meireles ainda existe o agravante sobre sua localidade, esta fica situada a menos de 100 metros da BR, o que dificulta muito o trabalho dos monitores nos horários de entrada e saída de alunos por conta do risco que correm.


Esta Escola foi inaugurada no final de fevereiro de 2016 e já está com as divisórias de gesso cedendo




A água do esgoto volta pelos ralos e inunda a escola com fezes e todo tipo de excrementos trazidos pela fossa 


A Escola foi inaugurada em Fevereiro de 2016, logo em Março este forro caiu. Arrumaram, porém continua oferecendo risco. 



Falta privacidade no banheiro feminino. As meninas usam o banheiro e quem passa no corredor consegue ver dentro do espaço. Detalhe: O banheiro masculino fica ao lado do feminino.






Note que adaptação foi feita às pressas em um galpão que não tem as mínimas condições para abrigar uma estrutura de escola em seu interior.


CEMEI


Uma escola que atende crianças com 4 e 5 anos de idade está totalmente fora do padrão que poderia ser tolerado nos quesitos salubridade, bem estar, segurança e qualidade. 

Inaugurada a 2ª parte da escola em Maio deste ano, nos deparamos com salas sem ventilação onde as janelas dão acesso a um corredor sem "saída", aliás, para a saída de emergência, ou seja, que fica fechada. As salas são úmidas, fétidas e muito quentes, apesar de contar com ar condicionado em todas. De acordo com o funcionário que nos apresentou os espaços, a energia não comporta todos ar condicionados ligados ao mesmo tempo, o que acontece em TODAS as escolas do município. Ou seja, foi gasto um valor exorbitante com as duas empresas da Família Callegari - Soluções e Satélite - lembrando que na época em que essas duas venceram as licitações, a esposa de um dos gerentes era a presidente de licitações do município - e sequer os alunos podem usufruir do benefício.








ÂNGELO BOSA

Considerada uma das piores escolas e que não consegue oferecer o mínimo de condições para um bom aprendizado dos alunos e para os funcionários, a Escola Municipal Ângelo Bosa é o aluguel mais caro da tabela e já custou aos cofres públicos nesses 8 anos, algo em torno de quase R$ 2 Milhões de reais somente em aluguel. O prédio pertence à Norte Construtora e Imobiliária LTDA ME e seguramente coloca a saúde psicológica, física e cognitiva dos alunos em risco.

Estes, são expostos a todo tipo de humilhação, desde assistir as aulas lendo palavras de baixo calão em TODAS as paredes da escola, até se sujeitar a frequentar um banheiro que não tem portas, não tem janela e apresenta as piores barbaridades nas paredes. Os banheiros são imundos, com vazamento, desenhos feitos com fezes, e não oferece o mínimo de proteção às pessoas que o frequentam. Em qualquer que seja a parte que você encoste, está correndo grande risco de contaminação.

Falta lâmpadas nas salas de aula, o ar condicionado não pode ser usado porque as instalações não permitem e a energia cai, a sala multifuncional não corresponde aos padrões exigidos por lei e, pasmem, durante muito tempo a mãe de um aluno cadeirante teve que lutar para que tivesse um banheiro adaptado às necessidades dele, o que é um direito assegurado. Como solução, o prefeito Humberto Santa Cruz juntamente com algum de seus 9 secretários de educação que passaram pelo cargo, designaram que o banheiro feminino da sala dos professores deveria ser divido com este aluno cadeirante, adaptando o espaço para que o garoto pudesse usá-lo. Para isso, hoje as professores utilizam o banheiro sem porta.

Inúmeras são as irregularidades encontradas, entre estas, fios de alta tenção expostos onde segundo a funcionária, vários alunos já levaram choque.
























Cantina que fica sob a responsabilidade da empresa que recebeu até hoje mais de R$33 Milhões de Reais




Contraditório, foi nos explicado que só utilizam o ar condicionado velho porque as instalações da escola não suportam os novos. Então, por que manteve na parede e por que os contratos continuam sendo pagos para manutenção desses?





Banheiro feminino da sala dos professores foi adaptado para o aluno cadeirante utilizar, sendo assim, as professoras não tem privacidade para usá-lo.


















Com essa realidade, fechamos nossa matéria e esclarecendo que somente três quesitos foram abordados: ALUGUEL - MERENDA - REFORMA. Mais de 51 MILHÕES DE REAIS gastos e o resultado é esse que podemos constatar nas imagens. Mas, a discussão pode ir além e se agravar ainda mais quando temos salas de aula em ruínas, banheiros sem total condições de uso, merenda insatisfatória e ainda, profissionais desmotivados que caminham há 4 anos assistindo seus direitos sendo cerceados por Humberto Santa Cruz em que acumulou uma dívida para o próximo gestor sanar de 13ºs dos contratados, que já ultrapassa os R$10 Milhões de Reais. Além dos 13ºs dos concursados que são pagos sem os adicionais assegurados também por lei.

Essa é a herança deixada por Humberto Santa Cruz na educação de Luis Eduardo Magalhães, dívidas, alunos humilhados, doentes, aprendizado precário e que muitas vezes foram degradados ao receberem dois biscoitos de maisena e um copo de água para merendar, enquanto a empresa recebeu até hoje mais de R$30 MILHÕES DE REAIS.

www.fernandopop.com - Por: Amanda Garcia/Fotos: Effect Produtora
















Reações:

0 comentários: