LEM: HUMBERTO SANTA CRUZ FAZ ENTREGA DE OBRAS JÁ FADADAS À RUÍNA

Prefeito Humberto Santa Cruz esperando companhia para cerrar a faixa

Note a lâmpada acima do prefeito a ponto de cair e os fios à mostra ao lado esquerdo do HSC

Maira Andrada chamando as pouquíssimas pessoas que se encontravam na cerimônia na tentativa de uma foto mais "harmoniosa"
 Na manhã desta quinta-feira, 29, o prefeito municipal de Luis Eduardo Magalhães, Humberto Santa Cruz fez a entrega de 9 unidades, entre elas a Lavanderia, Lacen, CAPS AD 3, Centro de Acolhimento - todos no Complexo da UPA e 5 postos de saúde.

Vários focos de vazamento de água

Várias paredes com rachaduras
Nossa equipe esteve na cerimônia geral em que o prefeito em seu discurso disse não se tratar de uma inauguração, mas sim apenas a entrega da obra.


Foram colocados nas unidades a maioria dos móveis já usados
Pois bem, é salutar que instiguemos a população a vários questionamentos sobre a dubiedade dos fatos. A Lavanderia qual teve sua faixa cerrada, foi entregue com as máquinas para lavagem de rouparia que Oziel Oliveira comprou no final do ano de 2008, quando era prefeito na ocasião. Humberto Santa nunca utilizou do maquinário sob a justificativa de que este "era avançado demais" e a demanda de rouparia era pequena para as máquinas. Ora, se a demanda é "pequena", é incompreensível que se tenha gasto dos cofres públicos mais de R$9 MILHÕES DE REAIS somente com lavanderia. Lavanderia essa que além do serviço de lavagem é também responsável por ALUGAR a rouparia, desde o jaleco até os tecidos utilizados em cirurgias para cobrir os pacientes. Somados esses valores disponíveis nos contratos e aditivos, o valor passa dos R$11 MILHÕES DE REAIS que saíram dos cofres públicos de Luis Eduardo Magalhães.

Máquinas adquiridas ainda há 8 anos atrás no segundo mandato de Oziel Oliveira










Estrutura "nova" com aspecto de antiga e mal planejada já com defeitos na obra
Se Lem já tinha o maquinário, por quê deixá-los nas caixas e terceirizar o serviço?


LAVANDERIA

Em Junho de 2012, a dita Lavanderia prestadora de serviço da prefeitura foi notificada pela equipe de Vigilância Sanitária a se adequar dentro do período regular de 30 dias. Motivo da notificação dentre outros, o mais grave se tratava de não haver no espaço da lavanderia um "Local de fluxo especial" - a grosso modo, não há um local especial que separe a rouparia hospitalar usada e/ou lavada das roupas normais, até porque, a Lavanderia também funciona comercialmente. Resumindo, as roupas vem sujas das unidades e ficam no mesmo ambiente separadas apenas por carrinhos com roupas normais. Depois de 30 dias, a Vigilância Sanitária voltou para inspecionar se haviam se adequado, qual foi constatado que não, sendo assim, o Alvará Sanitário foi recolhido.






Em 13 de Dezembro do mesmo ano, foi constatado em mais uma vistoria de rotina que a Lavanderia não havia respeitado os termos de notificações de Junho e pior, estava funcionando sem Alvará Sanitário. A situação estava tão precária que nem avental térmico para os funcionários tinha. Além de continuar com a prática de misturar a rouparia hospitalar com roupa normal. 


É importante ressaltar que para ter Alvará de Funcionamento, uma Lavanderia Hospitalar necessita dos três quesitos básicos - Habits, Alvará Sanitário e Licença Ambiental. Até hoje, não entende-se como, estando irregular e tendo sido registrado e notificado pela Vigilância Sanitária que a Lavanderia com contrato milionário continuou fazendo o serviço e colocando em risco gravíssimo a saúde de muita gente, desde os funcionários às pessoas que usam dos serviços. Mas, mais estarrecedor é pensar o por quê a Prefeitura permitiu que esta funcionasse com tantas restrições. 


Relatório explicativo das irregularidades encontradas
Humberto Santa Cruz fez a entrega da Lavanderia Municipal dois dias antes de seu mandato terminar, e já na manhã de hoje, 30, ao passar pela lavanderia, as portas principais se encontravam escancaradas sem ao menos ter um vigilante no local. 

Além da Lavanderia que é um caso grave que perpassa nosso entendimento enquanto cidadão, Humberto ao apresentar as instalações das demais unidades não se mostrou abalado por entregar obras com rachaduras, vazamentos, desníveis, cobertura de entrada com as chamadas "barrigadas" por falta de pilastra para suporte. A desmoralização a que tem se exposto é imensurável, e sua insegurança mostra a falta de comprometimento com que planejou a coisa pública em Luis Eduardo Magalhães.







www.fernandopop.com - Por: Amanda Garcia/Fotos: Effect Produtora
Reações:

0 comentários: