LEM: SITUAÇÃO DO HOSPITAL E MATERNIDADE GILENO DE SÁ REVELA O CAOS NA SAÚDE DEIXADO POR HSC



 Nesta quinta-feira, 8, nossa equipe de jornalismo acompanhou a visita técnica que grupo de transição de governo do Prefeito eleito Oziel Oliveira fez no Hospital e Maternidade Gileno de Sá.

Foi possível constatar que a situação da maternidade é gravíssima. Ainda não se chegou a um diagnóstico preciso, mas a princípio, pode-se afirmar que o próximo prefeito está numa situação alarmante.



UNIDADE DE CUIDADO INTENSIVO NEONATAL – SONHO QUE VIROU PESADELO

UCIN - Unidade de Cuidado Intensivo Neonatal
“Posso assegurar que a Unidade de Cuidado Intensivo Neonatal - UCIN se encontra nesse momento na ‘UTI’”, falou um enfermeiro do Hospital.

De acordo com as informações obtidas através do Diretor do Hospital, Carlos Alberto C. Gomes, todos os lençóis, fronhas, roupas para pacientes e médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem, a UCIN inteira e alguns aparelhos de outros setores dentro da maternidade são alugados. Ainda com a palavra, explicou que o dono de todo esse equipamento já esteve na unidade para avisar que não estava recebendo o pagamento e que vai retirar tudo. “Mais de R$200.000,00 foi o valor dito por ele que o município está devendo de aluguel e ele vai retirar tudo”, finalizou o Diretor Carlos.

A UCIN – Unidade de Cuidado Intensivo Neonatal foi inaugurada em 30 de Março deste ano, data em que comemora-se o aniversário de Luis Eduardo Magalhães. De acordo com uma matéria veiculada no site sigivilares.com.br em Março passado, Humberto Santa Cruz teria dito na oportunidade que sempre se lembra do hino da cidade, quando fala “É onde os sonhos se tornam reais”, mas, infelizmente o sonho acabou e a verdade veio à tona. Todo o equipamento para cuidar dos recém nascidos prematuros são alugados da empresa Omegaclin Comércio e Serviços Ltda - ME, em que estima-se todos os contratos em mais de MEIO MILHÃO DE REAIS para mantê-la. Bagatela esta que daria para comprar todo o equipamento há muito tempo.


Roupas sujas de pacientes ficam expostos colocando em risco não só os funcionários como os próprios pacientes

De acordo com o diretor da maternidade, não só esse serviço, mas vários outros foram cancelados depois das eleições. “O oxigênio também não estão fornecendo mais por falta de pagamento e a alimentação também está prejudicada por conta desse mesmo motivo”, falou Carlos.


Geladeira da Copa da Maternidade - Falta higiene e estrutura

Os produtos de limpeza se misturam em meio aos utensílios da copa e em algumas partes, o mofo se espalha na parede

É válido ressaltar que parte do patrimônio público encontrado no Hospital, entre o que está sucateado e alguns funcionando, foram deixados ainda da gestão passada, há 8 anos atrás. Conforme os próprios funcionários, tudo que foi adquirido no governo de HSC, será retirado em 31 de Dezembro pois fazem parte da tramóia de contratos de aluguel a que o atual gestor está acostumado a fazer.

A situação é estarrecedora. Além da mentira que o povo de Luis Eduardo Magalhães viveu nesses 8 anos, terceirizando todos os serviços básicos com contratos superfaturados que se confundem em meio à licitações fraudulentas, inclusive já denunciadas no Ministério Público Federal, ainda os moradores terão que assistir o desmanche da saúde pública e todo o patrimônio municipal virar sucata.

Equipamentos encostados por falta de manutenção e substituídos por alugados

Equipamentos vão se amontoando virando sucata e dando espaço aos alugados




Os focos queimam e só a empresa contratada de Salvador pode trocar, o que acontece só uma vez por mês e ainda assim não dá conta da demanda

Aparelho quebrado e amarrado com tecido deu espaço ao que era utilizado na sala de pequenas cirurgias, que ficou sem foco
Vários equipamentos se amontoam sem manutenção e ao invés de serem consertados, Humberto Santa Cruz permite que seus comparsas aluguem outros aparelhos com valores acima do mercado. “Esta autoclave de esterilização é alugada e veio faltando a bandeja que nos permite retirar o material sem queimar as mãos. Meu braço está todo queimado porque todos os dias exponho a pele ao calor do aparelho que chega a 400 graus”, explicou uma técnica em enfermagem mostrando as queimaduras adquiridas ao longo do tempo com o manuseio do equipamento.

Autoclave alugada que já veio usada e faltando a bandeja

Os Confortos - locais de descanso de médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem são desumanos e não oferecem nenhum tipo de conforto ou salubridade. 




Algo que chamou a atenção de nossa equipe de reportagem foi a forma como o patrimônio público na gestão atual é identificado. Nota-se nas fotos que, as placas de identificação ainda são de oito anos atrás, enquanto que nesta gestão, eles aplicam apenas a caneta permanente. Conforme alguns funcionários, devido aos produtos com química que são utilizados, a caneta permanente sai com o tempo. Portanto, os técnicos estão encontrando muita dificuldade para identificar o quê de fato é patrimônio público do município e o quê é alugado, uma vez que foi nos revelado que mais de 80% do que tem dentro da Maternidade é alugado.

Placa de identificação do patrimônio público municipal (Como deve ser)

Identificação como está sendo feito


Quando questionados os profissionais sobre requisitar a manutenção das máquinas e dar boas condições para os profissionais trabalharem, estes explicaram que isso sempre foi feito, mas que dependem do poder executivo para que seja solucionado, o que nunca aconteceu.

Lixo se amontoa nas laterais do Hospital colocando a saúde dos pacientes em risco



www.fernandopop.com - Por: Amanda Garcia/Fotos: Weleson Cotrim




Reações:

0 comentários: