OPERAÇÃO LAVA JATO: TRIBUNAL AMPLIA BLOQUEIO DE BENS DO PP PARA 1,8 BILHÃO; VEJA EMITE NOTA DIZENDO QUE “MP JÁ TEM ELEMENTOS PARA AFIRMAR QUE PP ABRIGA UMA QUADRILHA”


Desde o dia 17 de março de 2014, a Polícia Federal (PF) vem investigando um esquema bilionário de desvio e lavagem de dinheiro envolvendo políticos, grandes empreiteiras e a maior empresa estatal do Brasil, a Petrobras. O nome da operação, Lava Jato, faz referência a um posto de gasolina localizado em Brasília, um dos primeiros alvos da investigação.

Executivos de dentro da Petrobras cobravam propina de empreiteiras para ajudar as negociações dessas empresas com a estatal. A estratégia era superfaturar os contratos, facilitando o repasse de dinheiro público aos operadores do esquema, lobistas e doleiros, responsáveis pela lavagem e o repasse do dinheiro a políticos e funcionários públicos.

Marcelo Odebrecht, ex-presidente da construtora Odebrecht – empresa protagonista do esquema de corrupção envolvendo empreiteiras e a Petrobras – foi condenado em março do ano passado a 19 anos e quatro meses de prisão por corrupção, associação criminosa e lavagem de dinheiro. Marcelo foi acusado de ser o mandante de pagamentos de US$ 35 milhões e mais de R$ 108 milhões aos agentes da Petrobras.

Bens do Partido Progressista e de políticos da sigla são bloqueados; políticos baianos são citados
Em abril deste ano, a 1ª Vara Federal de Curitiba determinou a indisponibilidade dos bens do Partido Progressista (PP) e de 11 políticos da sigla, o valor dos bens somava cerca de R$ 480 milhões.

O Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF4), em Porto Alegre, ampliou o bloqueio de bens do PP para R$ 1,8 bilhão na Operação Lava Jato. Integrantes do partido também foram atingidos pela indisponibilidade cautelar dos bens, sendo dois políticos baianos: Mário Negromonte Junior (PP-BA) e Roberto Brito (PP-BA). Outros políticos do partido que tiveram os bens bloqueados: Nelson Meurer (PP-PR), Arthur Lira (PP-AL), Luiz Fernando Faria (PP-MG) e Otávio Germano (PP-RS).

A decisão também inclui o ex-deputado federal Mário Negromonte (PP-BA). Outros ex-deputados federais citados: Pedro Henry (PP-MT), João Pizzolatti (PP-SC) e Pedro Corrêa (PP-CE).

Lista do ministro Edson Fachin inclui políticos do PP que receberam votos em LEM
Dois candidatos citados na lista do ministro Fachin receberam votos consideráveis em Luís Eduardo Magalhães: Mario Negromonte Júnior e Cacá Leão, ambos do Partido Progressista (PP), apoiados pelo ex-prefeito do município, Humberto Santa Cruz, também do PP.

Veja emite nota dizendo que “Ministério Público já tem elementos para afirmar que PP abriga uma quadrilha”
Há dois dias uma nota emitida pelo Radar On-Line da Veja.com disse que o “Ministério Público já tem elementos para afirmar que PP abriga uma quadrilha”, afirma o título da nota. De acordo com a publicação, o partido presidido por Ciro Nogueira “será atingido por uma nova denúncia. Os procuradores reuniram elementos para sustentar junto ao Supremo que o partido tinha uma organização criminosa entre seus quadros”, destaca a nota assinada por Gabriel Mascarenhas.
Reações:

0 comentários: