EM MUQUÉM DO SÃO FRANCISCO, A SUJEIRA É VARRIDA PRA DEBAIXO DOS PAPEIS.

Um prefeito e um ex-prefeito, duas histórias diferentes com o mesmo final graças a uma manobra ardilosa de seus pares no poder legislativo do município de Muquém do São Francisco, no oeste baiano.
Em sessão extraordinária realizada no dia 28 de junho de 2018, esta convocada para “votar os pareceres prévios nº 08559-12, nº 10145-13, nº 09139-14 e nº 07307e17 do TCM acerca das Contas Anuais dos Exercícios Financeiros respectivos” por meio do edital de convocação nº 005 datado em 21 de junho de 2018, pela presidente desta casa legislativa, Sra. Maria Martins de Andrade, os edis votaram e aprovaram as contas do Poder Executivo Municipal relativas ao exercício financeiro de 2013, do senhor prefeito Marcio Cesare Rodrigues Mariano, sem saber que, às escuras, aprovavam as contas do ex-prefeito José Nicolau Teixeira Leite, estas relativas ao exercício financeiro de 2012.
Como varrer a sujeira para debaixo dos papeis

Segundo relatado por quatro parlamentares da Câmara Municipal de Vereadores de Muquém do São Francisco – que requerem instauração de procedimento de ação de improbidade administrativa contra três membros da mesa diretora do legislativo atual, incluindo a presidente em exercício –, a referida sessão apresentou para apreciação e votação os documentos relativos às contas do atual prefeito (exercício 2013), porém, junto a estes inseriu a documentação relativa ao exercício financeiro de 2012, do ex-prefeito já citado. Nas palavras de dois destes parlamentares, a atitude foi classificada como “irresponsável” e “propositadamente objetivou a aprovação de contas que haviam sido reprovadas por parecer prévio do TCM”, e assim, “traiu a confiança destes na lisura desta gestão legislativa”.



www.noticiadooeste.com - Texto: Guga Junior.
Reações:

0 comentários: